Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Tenho visto muita gente apavorada com o UAHF (User Activate Hard Fork) que causará um split do Blockchain do Bitcoin. O Bitcoin Cash (BCH ou Bcash), será, então um fork do Bitcoin (BTC) e tem previsão para ser feito a partir de 1° de agosto de 2017, às 12:20 UTC.

O nascimento do Bitcoin Cash (BCH) advém de questões controversas tais como governança (grau de centralização / descentralização do sistema), implementação de novas ferramentas (Segwit / Não-Segwit) e até questões metafísicas de entendimento que se transformam em verdadeiras "guerras políticas" (Satoshi Nakamoto, afinal, gostaria que fosse aumentado o tamanho do Bloco neste momento ou acharia a implementação do Segwit uma proposta inovadora?). Estas são algumas questões, claro que existem muitas outras, que servem para debatermos e pensarmos.

E, claro, tem muita gente que acha essa governça do Bitcoin caótica, e, entente o fork como uma falha que nunca deveria ter acontecido. Eu já acho o contrário: A governança do Bitcoin é fantástica.

Entenda, quando cito governança do Bitcoin eu me refiro principalmente a pontos chaves:

1. A governança do Bitcoin não é uma democracia.

Como Andreas Antonopoulus, autor do belo livro Mastering Bitcoin, disse:

"A democracia foi inventada sob condições bem específicas: 3.000 proprietários de terras, donos de escravos, queriam decidir por eles mesmos e por 150.000 escravos, mulheres e crianças que tinham como propriedade.

A democracia sem restrições, sem os direitos humanos, sem direitos civis, sem proteção constitucional é um sistema brutal de opressão onde, uma vez que você obtém esse fragmento de maioria, você pode erradicar todos os outros. Sem as restrições adequadas, você poderia dar 51% da população a capacidade de decidir matar os outros 49% por qualquer motivo que eles escolhessem.

O Bitcoin é um sistema de consenso super-maiorista, onde é preciso uma porcentagem muito grande dos grupos decisivos (os cinco círculos eleitorais do consenso) para fazer mudanças, o que torna a mudança muito difícil. Bitcoin não é uma democracia, nem mesmo na mineração.

Esta tecnologia nasceu da internet e expressa algumas das filosofias abertamente políticas e igualitárias de informações de fluxo livre, liberdade de expressão, liberdade de associação numa base transnacional que transcende não apenas as fronteiras, mas todos os aspectos da identidade sem identidade."

2. A possibilidade de Fork no Bitcoin é um direito a "secessão" intríseco na governança do Bitcoin.

O fork é exatamente isso. Se não gostou, se acha que você encontrou um outro meio de escalar o sistema, é possível criar sua própria corrente de blocos e a partir daí lançar sua visão do sistema. Você é livre e tem total liberdade de manifestação nesse sentido. Se pudéssemos fazer isso com localizações geográficas, presenciaríamos, de fato, regimes e governanças mais prósperas e outras decadentes, sendo testadas e colocadas a prova a todo instante.

Esse conceito de governança está intimamente ligado a subsidiariedade e a própria secessão. Segundo Fabio Andreotti, formando em Ph.D em direito na Universidade de Zurique e trabalhador do instituto liberal da Suíça, em seu artigo "Secessão e subsidiariedade são a solução contra governos agigantados e centralizadores" é citado:

"Por séculos, juristas e estudiosos do assunto sempre reconheceram a importância do direito à secessão tomando por base o direito natural. O calvinista alemão Johannes Althusius argumentou em sua obra Politica (1603) que os cidadãos tinham o direito de abjurar obediência ao rei em caso de abuso de poder. Para Althusius, a secessão representava uma restrição vertical ao poder dos antigos estados absolutistas europeus. Mas também era um recurso que não deveria ser utilizado de maneira afobada.

A secessão, para Althusius e outros, deveria ser ultima ratio, isto é, um recurso apenas de última instância. Antes disso, e acima de tudo, o estado deveria ser organizado de baixo para cima, de acordo com o abrangente "princípio da subsidiariedade", do qual a secessão é apenas uma parte.

Subsidiariedade é um princípio de organização social, política e econômica. Advém do latim subsidium e significa "suporte", "apoio", "reserva" ou "preservação". A subsidiariedade afirma que a sociedade é primordialmente baseada na auto-determinação e na responsabilidade individual de cada pessoa, de sua família, e das associações privadas de indivíduos (cooperativas).

De acordo com este princípio, o governo local deveria se envolver na solução de problemas apenas e tão-somente se as organizações privadas forem incapazes de resolvê-los por conta própria. Ademais, se o governo local for incapaz de fazer isso, o governo regional assume a tarefa, ou apenas auxilia o governo local. E, finalmente, o governo central — ou o monarca — intervém caso os estados federados não consigam resolver a pendenga sozinhos.

Qualquer nível mais alto de organização da sociedade deve estar subordinado a qualquer nível mais abaixo. A principal vantagem de uma ordem de vários níveis é que, neste arranjo, os indivíduos tomam decisões que afetam mais diretamente suas vidas. Decisões delegadas a terceiros são tomadas o mais próximo possível dos indivíduos, de modo que estes podem supervisionar todo o processo mais facilmente."

Ainda, a subsidiariedade facilita enormemente um processo de "tentativa e erro", no qual a regulação e a governança "concorrem" entre si dentro de um arcabouço liberal. Como disse Friedrich Hayek em seu livro A Constituição da Liberdade:

"É esta flexibilidade de regras voluntárias que, no campo da moral, torna possíveis a evolução gradual e o crescimento espontâneo. E estes, por sua vez, geram uma maior experiência, o que leva a modificações e aprimoramentos contínuos." (Friedrich A. Hayek)

Portanto, pare e pense, o Bitcoin Cash (BCH) é um fork infundado? Na minha humilde opinião, não. É uma visão diferente de como algumas pessoas acham que o sistema pode ser escalado, portanto, invocando O calvinista alemão "Johannes Althusius" é um recurso que, feito em última instância, é garantido o direito. O Fork do Bitcoin é exatamente isso. Repito, se a governança dos países, desse o direito de subsidiariedade e até de secessão (me parece que só Lichstein dá a essa possibilidade aos seus cidadãos), viveríamos em países muito mais prósperos, a medida que veríamos e aprenderíamos com tentativas frustradas, com "erros e acertos, de novos/antigos modelos de governança.

3. Concorrência

Se você chegou com sua leitura até aqui, pode até não ter concordado com tudo que escrevi acima ou com os autores que citei, mas um fato é inegável: Diversas formas e diversas visões de escalar o sistema trazem concorrência e isso sempre é benéfico para o consumidor em qualquer mercado.

Isto é, a concorrência fará com que as taxas de transação estejam sempre sendo perseguidas, e não existe hipótese ruim neste ponto. A cotação pode vir a sofrer, mas a tecnologia, prevalecerá forte e robusta. No fim, ganhará a moeda que atender da melhor forma possível ao mercado. Certo pessoal? Sem pânico.

Grande abraço!

Fontes:
- https://steemit.com/bitcoin/@firepower/crypto-current-affairs-andreas-antonopoulos-says-bitcoin-isn-t-a-democracy
- http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2730
- https://www.youtube.com/watch?v=hKSb9n0MIWQ